13.12.04

lavatório

Não digas a verdade
Não digas a ninguém
Esconde-a
E esconde-te de ti mesmo

Mudo, hás-de prosperar
Como prospera o vinho
Na adega escura
Se fizeres o contrário
Perseguir-te-ão até a morte

Esconde o teu amor
Lava as tuas mãos
Segue o caminho vão
E esconde o que te dói

Vai, voa, lacrimeja ao vento
Mas não mostres o caminho
Nem digas a verdade



por
Willie Mays

1 Comments:

At 10:39 AM, Anonymous Anonymous said...

Este está muito bom, mas se calhar está demasiado simples. Ou talvez não. Não sei. Acho que se percebe demasiado bem a ideia. Isso é bom, no caso de ser essa a intenção. Não deixa muito espaço para segundas interpretações. Mas isso também pode ser bom. Mas eu gosto.
O "voa" e o "lacrimeja" é que que não me atraem muito. Mas o problema deve ser meu; há muitas palavras das quais não gosto. Mas está porreiro.

 

Post a Comment

<< Home