19.6.05

Morreu ontem o vizinho com quem eu falava há dias sobre o tempo quente e a dificuldade em estacionar na rua onde moramos. O seu corpo já muito franzino punha e dispunha cuidadosamente alguns objectos na mala do carro como quem está a tentar arranjar espaço para mais bagagem. Depois da breve conversa, desci a rua e fui à minha vida. Hoje sei que aquela foi a última vez que o vi, conscientemente atarefado num dia-a-dia prestes a expirar.
Imagino naquele canto na mala do carro o espaço necessário para seguir viagem: a alma cabe em qualquer parte.

1 Comments:

At 12:29 AM, Anonymous Anonymous said...

A vida é mesmo assim... Pra ser apreciada nos seus pequenos momentos... Pra ser vivida e valorizada. Porque ela é feita deste momento que já passou! Ou se viveu ou não....O resto são boas memorias e recordações!Rah

 

Post a Comment

<< Home