10.6.05

O Inconhecível

...
"Não consigo conhecer-te", quer dizer: "Nunca saberei o que verdadeiramente pensas de mim." Não posso decifrar-te, pois não sei como tu me decifras.
Gastar-se, agitar-se por um objecto impenetrável é pura religião. Fazer do outro um enigma insolúvel de que depende a minha vida é consagrá-lo como deus. (...) Mais não me resta do que transformar a minha ignorância em verdade. Não é verdade que quanto mais se ama, mais se compreende; o que a acção de amor obtém de mim é apenas esta evidência: que o outro não é para conhecer; a sua opacidade não é apenas a tela de um segredo mas sim uma espécie de evidência em que está abolido o jogo da aparência e do ser. Vem-me então esta exaltação de amar a fundo alguém desconhecido e que assim permaneça para sempre: movimento místico: alcanço o conhecimento do inconhecível.
Roland Barthes

1 Comments:

At 4:08 AM, Blogger Sacha said...

desconcertantes palavras

 

Post a Comment

<< Home