2.7.05

"Branco é...

... Live8 o põe", ou algumas dúvidas que me tomam depois de ver tanta gente vestida de branco, com ar satisfeito, a passear nas ruas ou a ouvir os artistas en vogue:

- para onde irá o $$$$$$ da dívida perdoada?
- como se traduz "Fair Trade" em Ibo, Malinké, Xangana, Umbundo, etc...? E, já gora, como se traduz em...Inglês?
- a quem interessa a boa saúde de líderes e bizznezzmen a "fundo perdido"?
- o que vende melhor: Dido+Youssou N'Dour, T-shirts estampadas com "Make Poverty History" a $1, feitas em países onde se vive com $1 diário, ou o café da Costa do Marfim?
- denuncia-se a pobreza aos quatro ventos mas os pobres não têm voz, só olhos desmesuradamente grandes e infinitamente tristes

A minha esperança é que os futuros homens e mulheres de (maior) poder rejeitem a disjunção entre intenção e acção...

4 Comments:

At 8:01 PM, Blogger Sacha said...

Dei uma olhada à "coisa". Cinco Minutos Bastaram-me: Entre uns não recicláveis Duran Duran e a subida de Bill Gates ao palco londrino para citar Tony Blair e anunciar uma tal de Dido, ficou-me a certeza de que ou eu mudei muito ou de facto a história só se repete num de dois formatos: tragédia ou comédia.

O Capitalismo é assim, consegue nutrir-se até do que é suposto ser anti-capitalismo.


Subitamente deu-me vontade de rever o festival de Isle of Wight 1970: entre Joni Mitchell e Miles Davis a música era outra coisa, a experiência sensorial era outra coisa e, finalmente acreditava-se que outra coisa era possível.

 
At 12:24 AM, Anonymous Anonymous said...

Quem é que ainda acredita no Pai Natal? Ou no Coelhinho Da Páscoa? Se houvesse vontade política, o mundo já seria muito melhor! Os poderosos e os políticos servem-se a si próprios! É preciso abrir os olhos e ao mesmo tempo tentar evitar a areia que nos mandam! Rah

 
At 11:34 PM, Blogger Horácio said...

lembrei-me do Fórum Mundial...infelizmente

 
At 12:32 AM, Blogger ELCAlmeida said...

Sem querer ser auto-publicitável, dou a minha opinião num artigo de hoje no JN (entre dois, foi o mais soft, daí se vê o que penso destes perdões) e depois há o artigo de Orlando Castro, tanbém no JN onde ele pergunta, claramente, "para onde vai os milhões onde poucos têm milhões e milhões têm tão pouco".
Esperemos mais 10 anos, agora pelo Death10 - a morrer uma criança a cada 3 segundos...

 

Post a Comment

<< Home