17.5.05


"José Eloi" foto de Marcinho Lima

Homem Velho

O homem velho deixa a vida e morte para trás
Cabeça a prumo segue rumo e nunca, nunca mais
O grande espelho que é o mundo ousaria refletir os seus sinais
O homem velho é o rei dos animais


A solidão agora é sólida, uma pedra ao sol
As linhas do destino nas mãos a mão apagou
Ele já tem a alma saturada de poesia, soul e rock'n'roll
As coisas migram e ele serve de farol


A carne, a arte arde, a tarde cai
No abismo das esquinas
A brisa leve trás o odor fugaz
Do sexo das meninas

Luz fria, seus cabelos têm tristeza de neon
Belezas, dores e alegrias passam sem um som
Eu vejo o homem velho rindo numa curva do caminho de Hebron
E ao seu olhar tudo que é cor muda de tom

Os filhos, filmes, livros, ditos como um vendaval
Espalham-no além da ilusão do seu ser pessoal
Mas ele dói e brilha único, indivíduo, maravilha sem igual
Já tem coragem de saber que é imortal

Caetano Veloso

4 Comments:

At 2:02 PM, Blogger andreia said...

não sei porque, não imagino caetano veloso a cantar este poema.

 
At 2:53 PM, Blogger Sacha said...

Não precisas imaginar.Podes ir ao site
http://www.caetanoveloso.com.br

e se fizeres a pesquisa "O Homem Velho" em "todas as musicas" podes ouvir um pouquinho.

 
At 5:32 PM, Blogger Horácio said...

estou encantado :-)

Horácio

 
At 1:20 AM, Anonymous Anonymous said...

Há uma canção de Jimmy Dludlu chamada "Library in Flames", que é como quem diz a morte de alguém muito sábio e muito velho.

Ana

 

Post a Comment

<< Home