11.11.04

11 de Novembro.

Hoje, neste 11 de novembro da morte de Arafat, Angola faz 29 anos de indepêndencia( já estou a ouvir, da Républica Checa, o meu amigo Mário a corrigir-me: indepedência não! libertação).

Sobre Arafat, talvez seja melhor falarmos mais tarde, quando a "poeira" sentar.

Quanto a Angola, desculpem-me mas não vejo grandes razões para comemorações.

Lembrei-me de uma coisa que escrevi há dois anos, aquando da morte de Savimbi, que, numa analogia com o filme "O bom, o mau e o vilão" de sergio leone, terminava mais ou menos assim:

"Agora que o "Vilão" se foi, esperemos que o "Mau" saíba, também ele, sair de cena. Estamos cansados dele e da sua falange de incompetentes e cleptomaníacos, desconhecedores do significado da palavra patriotismo. É chegado o tempo de a sociedade civíl angolana se reinventar como o "Bom" para que o filme possa finalmente acabar bem."

Parece que continua actual, pois o "actor em causa" ainda não se apercebeu ou não se quer aperceber que é ele "o mau da fita". A sociedade lá vai tentando dar-lhe sinais....mas ele faz ouvidos de mercador ( de mercenário seria o termo mais apropriado)

Aos compatriotas que acreditam na ideia de uma Angola melhor e que insistem, com as suas ideias, com o seu talento e com o seu honesto trabalho, em remar contra a maré, dando, da melhor forma que podem, o seu contributo, a esses e só a esses, um kandando de encorajamento.

PS- Estou esperançoso de ler uma análise do Fbonito. Ainda que seja curta. Que dizes F.?

2 Comments:

At 2:08 AM, Blogger Horácio said...

É verdade 29 anos. É uma data estóica...(???), quer dizer, histórica. Como diz o repórter da nossa querida TPA uma efeméride novembrina.

Horácio

 
At 6:38 PM, Blogger fbonito said...

Sacha;

29 de anos de independência? de libertação?....Para o efeito pouco conta. Aliás, talvés tenhamos 29 anos de dupla-independência pois, de acordo com as minhas imprecisões históricas, consta-me que a 11 de Novembro de 1975 enquanto Neto proclamava uma independência em Luanda, Savimbi proclama outra (ou a mesma?) independência no Huambo. Estariam, porventura, de acordo naquele momento? Claro que não...e a briga continuou com o discípulo de Neto que acabou "vergando a espinha" do kota Jonas. No "meio" da briga (bem início)tivemos o enigmático 27 de Maio de 1977 e, mais para o fim, tivemos a chegada da "paz" e as eleições que voltaram a "perpetuar" o poder instalado.

Para mim, assim escreve a história política da Angola independente.

Quando a economia, ensino, saúde, habitação, vias de comunicação, saneamento e outros índices do progresso e desenvolvimento.......enfim!!!

De quando em quando vamos tendo algumas alegrias nacionais pelos feitos de alguns desportistas (mesmo com o investimento pobre que se faz no desporto) e de alguns agentes da cultura...

Devemos ter números assombrosos de mortalidade infantil, seropositivos, acesso a saúde, acesso e qualidade do ensino, analfabetismo, corruptos, déspotas, etc, etc......E TANTO PETRÓLEO !!!!

Resta-me um resquício de esperança contida, que me escapa ao controle racional - se calhar, porque sou angolano, possas! - de que as coisas vão melhorar....e há cada vez mais angolanos anónimos e não só a fazer por isso e é com estes que me identifico...

um abraço

 

Post a Comment

<< Home